terça-feira, 27 de junho de 2017

O Amor me Encontrou e Encantou na Beira do Abismo...



DEUS te fez sob medida para mim...
Um dia tu fostes profetizado pelo oráculo e duvidei...
Na beira do abismo tu me encontrastes e me encantastes...
Tu surgistes de um jeito lindo e inesquecível...

Alguns dias depois, como por encanto, um encontro casual, num lugar inusitado...
Naquele momento em que já havia perdido a esperança de encontrar o que tanto procurara minha vida inteira...
Nem acreditei no que os meus olhos viram...
Tu eras real... existias... tinhas nome e sobrenome... e sorrias para mim com aquele olhar de anjo da primeira vez...

Dali em diante surgiram muitas dúvidas...
O medo, a recusa, a afeição, a negação, a aceitação...
A minha súplica fora atendida então...
O amor da minha vida havia chegado na hora exata entre a vida e a morte...

DEUS escolhera o homem mais encantador...
O meu companheiro para toda vida...
A minha razão para voltar a ter esperança na humanidade da humanidade...
O tangível veio a mim de forma intangível...

Mas DEUS é DEUS de grandes feitos...
Não poderia, deveras, ser diferente conosco...
Tinha que ser lúdico o nosso encontro...
Para mostrar que jamais devemos deixar de sonhar...

Os sonhos nos impulsionam na caminhada...
Às vezes milagres acontecem no meio do caminho...
Precisamos acreditar no Éden...
Transitoriamente ele muda de lugar e o paraíso se revela a nós...

Tu és àquele que esperaria por toda a minha vida...
És meu Príncipe Encantado...
Riam-se agora as gentes dos Contos de Fadas...
Sobre nós reine o amor eterno, em um começo feliz, que durará perenemente firmado em DEUS...

Minha vida inteira te desejei, te ansiei e te esperei...
Nunca poderia te imaginar tão perfeito...
Realmente, DEUS caprichou em cada detalhe...
Sinto que não merecia tanta felicidade, meu herói, meu amor, meu TUDO.

Anna Mattos.

segunda-feira, 26 de junho de 2017

AK by AK


Sou o que os teus olhos não veem...
Sou lua e sol...
Sou céu e mar...
Sou terra, sou água, sou fogo, sou ar...
Sou bruxa e princesa...

Sou o que os teus olhos não veem...
Sol fria e quente...
Sou pedra e nuvem...
Sou grande, sou pequena, sou finita, sou infinita...
Sou feia e bonita...

Sou o que os teus olhos não veem...
Sou preto e branco...
Sou prata e ouro...
Sou lago, sou floresta, sou deserto, sou tempestade...
Sou vilã e mocinha...

Sou o que os teus olhos não veem...
Sou tangível e intangivel...
Sou carvão e diamante...
Sou alegria, sou dor, sou riso, sou pranto...
Sou doce e amarga...

Sou o que os teus olhos não veem...
Sou forte e frágil...
Sou tudo e nada...
Sou emoção, sou sentimento, sou pulsar, sou coração no peito a bater...
Sou feliz e triste...

Sou o que os teus olhos não veem...
Sou mãe e filha...
Sou alma e espírito...
Sou norte, sou sul, sou leste, sou oeste...
Sou partida e chegada...

Sou o que os teus olhos não veem...
Sou nostálgica e ansiosa...
Sou sábia e leiga...
Sou estrela, sou areia, sou brisa, sou vulcão...
Sou noite e dia...

Sou o que os teus olhos não veem...
Sou passado e futuro...
Sou certa e errada...
Sou rosa, sou espinho, sou ser, sou sangue nas veias a correr...
Sou A e K...

Anna Mattos.

Hoobastank - The Reason.

O silêncio que ficou...


Os dias passam devagar...
No lugar dos sonhos ficaram os pesadelos...
Os risos transformaram-se em choro... em pranto...
Na vida apenas perguntas sem respostas.

As horas passam devagar...
No lugar das brincadeiras ficaram as desilusões...
As aventuras transformaram-se em desventuras... em desalentos...
No mundo apenas paisagens sem cores.

O que fazer com todo esse amor?!
Para onde irei sozinha sem a tua companhia?!
A existência sem você perdeu todo o sentido.

A quem recorrer com toda essa dor?!
Para que você me presenteou com esse vazio?!
O silêncio que ficou é tudo que tenho.

Anna Mattos.

sexta-feira, 23 de junho de 2017

BLOG BOMBANDO... (???!!!)

Queridos(as) leitores(as),

Gostaria de agradecer, imensamente, pelo aumento expressivo das visitas que o BLOG está recebendo, mesmo sem fazer ideia do motivo.
Só para efeito de comparação... no mês passado inteiro ele teve apenas 1.796 visitas... somente ontem, dia 22/06/2017, ele teve 800 visitas.
Sempre apostei que um dia daria certo e parece que esse dia chegou.
Isso me incentiva a continuar... a escrever... a postar.

Com afeto,

Anna Mattos.

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Adeus A.M.S.

A&A

Feliz Aniversário e Adeus.


A vida te trouxe e te levou, para sempre, como um sonho...
Nada acontece por acaso nesse mundo que não para de girar...
Depois de "nós" sou uma nova mulher, alguém melhor, com certeza...
Embora tenha sido tudo tão tumultuado, tão intenso, valeu muito a pena... 
Relembro dos nossos momentos e brincadeiras com afeto e saudade...
Sempre tão diferente de mim em tudo, ou em quase tudo...
O universo é feito de diferenças necessárias para harmonizá-lo...
Nada apagará o que a gente viveu, nem a minha eterna gratidão por me puxares da beira do abismo, nem por me empurrares para a arena do viver para vencer.

Muito obrigada, por tudo, menino bonito...

Com afeição,

Anna Mattos.

P.S.: o acróstico acima é uma singela homenagem a um certo alguém, deveras, muito especial.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Morte?! Vida?! Por Machado de Assis...


Phil Collins - Do You Remember?! AMS

O Sino da Igreja.



Naquela noite, como de costume, a menina deitara-se na cama e adormecera... Não fazia ideia da aventura que viveria... O entrelaçar-se do tangível com o intangível. Ninguém entendeu o que acontecera. A criança sumira do quarto... Da casa... Nesse instante seus pais entraram em desespero. O que marca cidades pequenas não são os seus limites... A solidariedade entre seus habitantes... Nisso reside toda a diferença entre localidades do interior e metrópoles. O povo se dividira em pequenos grupos... Nunca havia acontecido fato similar nos arredores... A garota precisava ser encontrada antes do raiar do dia. Nós podemos imaginar o desespero dos pais... O que poderia ter acontecido?!... Ninguém sequer ousara levantar alguma suposição... A criaturinha era conhecida por sua peraltice... Nós sabemos como as crianças levadas nos surpreendem. O tempo ia passando e a noite escura e fria nunca seria um obstáculo para aquela gente afetuosa e obstinada... A guria nunca fora tão longe nas peripécias... Naquela situação de pânico havia fé nas pessoas. O desenrolar do ocorrido, até hoje, é um grande mistério que provoca curiosidade e um calafrio em quem toma conhecimento... Nesse frenesi da busca, as dúvidas eram muitas... A população estava comovida e perplexa. Nisso alguém gritou pedindo silêncio e atenção... O sino da igreja começara a soar muito suavemente... Nada mais fora do normal poderia acontecer e todos ficaram petrificados. A cidadezinha possuía uma única igreja matriz... No centro, na praça, na vizinhança da desaparecida... O som tinha horas e ocasiões certas para ecoar sempre. Nada parecido jamais ocorrera outrora no lugarejo. A única direção para todos tornara-se a daquela capela. No coração de todos a esperança se misturara com o espanto. O padre fora acordado na casa paroquial. Naquele momento entre a ansiedade e a aflição daquela gente a única alternativa seria ir averiguar o mistério. Nunca aquele povo vivera algo parecido. O sacerdote ao subir, ao topo pela escadaria em caracol, e chegar ao local, naquele momento, que parecera uma eternidade, perdera a respiração por um instante... A pequenina visitante tentava, desesperadamente, conseguir badalar o enorme sino... Nunca conseguiria ser localizada de uma outra forma. O alívio e surpresa de todos era indescritível... "Ela está aqui; ela está aqui."... Gritavam todos... "Mas como ela veio parar aqui?!"... Se perguntavam. Era de praxe todas as luzes serem apagadas e todas as portas serem fechadas, repetia o responsável incrédulo. Mas todos puderam ver com os seus olhos e constatar o ocorrido... Ela fora encontrada com seu pijaminha e meias... Era um enigma que ninguém nunca conseguiu desvendar... Ela também jamais entendera, mas ela era eu e eu sou ela, por isso não tenho outra alternativa a não ser acreditar.

Anna Mattos.

terça-feira, 20 de junho de 2017

A Despedida...


A vida me viveu...
Anos, meses, semanas, dias...
Horas, minutos, segundos, suspiros...
Há vida além da morte? Certamente!

Lágrimas são dádivas concedidas...
Sorrisos são tesouros preciosos...
Sentir é a realidade do existir...
Lua, sol, estrelas, planetas.

O Universo é tão pequeno para mim...
O Criador é tão grande em mim.

A vida me viveu...
Amores, dores, sentimentos, saudades...
Terras, céus, mares, melodias...
Tive antes e depois de tudo e nada.

Meu destino já estava escrito? Indelevelmente!
Ninguém jamais conseguiu me entender...
Nunca encontrei o meu lugar no mundo...
Minha vida e morte se despedem.

A vida sempre me foi pesada demais...
A morte é leve e fria como a brisa do adeus no cais.

A.K.O.G.